CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

SINO DO VENTO

Nº DE ACESSOS DESDE 22/11/2010

contador de visitas

NEFERTITI

NEFERTITI

Amigos Caminhantes

POSTAGENS RECENTES

KYPHI PARA ILUMINAR OS SONHOS

KYPHI PARA ILUMINAR OS SONHOS
incenso egípcio

ASFALTO DAS HORAS RECEBEU O SELO DA VEJABLOG - OS MELHORES BLOGS DO BRASIL

ASFALTO DAS HORAS FAZ PARTE DOS MELHORES BLOGS CULTURAIS

http://meublogtemconteudo.blogspot.com/
Obrigada por visitar e comentar as postagens

CADASTRE-SE E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES NO SEU E-MAIL

Seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

21 de fevereiro de 2015

TODOS SE ENGANAM


 Debruço-me na sonolência da janela
e invejo as estrelas que se banham
na lagoa escura do firmamento.
Enquanto bordo pedaços de tempo
espeta-me a pele a saudade do teu olhar.
Tenho um bisturi sempre à mão
para extirpar as emoções indesejadas
e engana-se quem pensa
que tenho empatia com a dor.
Sou feita de matéria
também de alma
e podem até dizer
que tenho a cabeça oca
mas
sei muito bem como entornar
a taça de vinho em tua boca...

08-06-2013

Shirley Brunelli Crestana

48 COMENTE AQUI:

Cidália Ferreira disse...

Bom dia Shieley

Adorei o seu poema, Lindo mesmo!

Beijo, bom sábado

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

José Carlos Sant Anna disse...

O encanto da palavra poética para sublimar a falta, a confissão amorosa, o preenchimento de um vazio: “sonolência da janela” "estrelas que se banham” “bordo pedaços de tempo” "espeta-me a pele a saudade".
Quase embriagado com as imagens, por pouco não abro a boca para sentir o gosto desse vinho, mesmo sabendo que não o seria para mim (rs)!
Beijos, Shirley! Um bom final de semana!

tesco disse...


Debruçada
Nesta janela, ó minha bela
Às estrelas inveja causas

E minha causa
Subversiva e invasiva
É moldar-te o coração

Indesejada
Talvez seja a emoção
Que cresce feia e espúria

Porém tu não,
Que despertas sensação
Tão suave quanto em fúria

O meu olhar
Desejoso e sequioso
Certamente vai para ti

Não importa
Em tua mão o perigoso
E asqueroso bisturi

Empatia
Eu sei que tens para comigo
E por isso o meu castigo

É pernoitar
Tão distante e tão sozinho
Só querendo beber teu vinho.

Beijos.

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá Shirley,seu poema é um hino ao amor.
Muito lindo.
Bjs e um ótimo domingo.
Carmen Lúcia.

Laura Santos disse...

Engane-se quem pensa que uma saudade pode vir e alojar-se sem ter de pedir licença...(quereríamos nós), mas existirá sempre uma saudade que teima em anunciar-se e penetrar-nos a pele. Até convém. Um dia sorriremos com essa lembrança!
Quanto ao vinho, oferece um ao amigo José Carlos Sant Anna. Do Alentejo!...:-)
(Não ligues, brincadeira!)
Belo poema, como sempre, Shirley!
xx

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Um poema ao etilo Cecília Meireles. Lindo demais, amiga. Parabéns. beijos

Mariangela do Lago Vieira disse...

A saudade...Quantos sentimentos ela nos desperta!
Que belíssimo poema Shirley.
Uma bela noite pra você.
Beijos,
Mariangela

Isa Martins disse...

Somos feitos de matéria, mas também de alma...perfeito, e a alma grita quando as coisas precisam ser estruturadas, belo poema.
Bom domingo Shirley, beijos

Vieira Calado disse...

Olá, amiga, como tem passado?
Hoje venho tão somente agradecer-lhe as suas amáveis palavras acerca do meu vídeo.
Bem haja!

Fábio Murilo disse...

Boa! Poema entremeado de discreta e elegante sensualidade. Beijos, Shirley.

Ivone disse...

Que lindo poema, acho que todos os poetas e poetisas queriam ter a natureza das estrelas, brilham sem cessar, elas mesmas sempre, sem necessidade de um "bisturi" para extirpar emoções indesejadas né mesmo?
Deixo aqui um abraço bem apertado!

Guaraciaba Perides disse...

Oi, Shirley..."no vinho a vida", "no vinho a verdade"...por isso é precioso
e compartilhado.
Um abraço

Lilly Silva disse...

Que linda poesia! Queria eu poder ter um bisturi sempre a mão...Ai ai...
Lindo!!!
Bjus mil ♥

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Dorli disse...

Oi poetisa Shirley,

Você me encanta com duas poesias enfeitadas de metáforas
Beijos
Lua
Singular

Daniel Costa disse...

Shirley, apreciei a beleza do poema, só podia, dada a sua elegância.
Beijos

Dorli disse...

Oi Shirley
Eu estou pós operada, quando melhorar virei mais aqui.
Beijos no coração
Lua Singular

heretico disse...

gostei muito. a apoteose da taça de vinho a escorrer na boca surpreende pela sua eloquência...

beijo

manuela barroso disse...

..e feliz, Shirley, de quem sabe manusear esse bisturi!
Uma metáfora, toda ela bela!
Bji grande!

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá amiga, que saudades daqui, parabéns, sempre escrevendo com sensibilidade e criatividade! E que coisa boa é um vinho regando o amor! Bjossss

Lilá(s) disse...

Linda e delicada poesia! linda também a sensibilidade na escrita.
Bjs

CÉU disse...

A mulher, e especialmente uma poetisa, tem uma argúcia cirúrgica muito própria, e portanto, ela sabe, exatamente, o momento certo para atuar, que nunca falha.

Boa semana!

Ane disse...

Oi Shirley!
Queria também ter o poder de me livrar de emoções indesejadas...Li várias vezes os versos,tem significados mais profundos nas palavras e eu fico querendo saber quais...
Um abraço!

Nádia Santos disse...

Maravilha Shirley!!! Bjussss

Carla Ceres disse...

Oi, Shirley! Cabeça oca, você? Jamais! Só se for pelo bem da rima. :) Beijos!

Dorli disse...

Oi Shirley

O dia terminando, agora acordo para lhe dizer uma linda noite.
Maravilhoso o seu blog!!
Beijos
Lua Singular

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Olá Shirley
Obrigado por sua visita a um dos meus blogs.
Gostei de pisar este Asfalto.
Abraço

O Árabe disse...

Bordar pedaços de tempo... que bela imagem! Belo poema, Shirley, boa semana.

ReltiH disse...

UN TEXTO GENIAL!!!!!!!
ABRAZOS

Graça Pires disse...

A saudade. Uma taça de vinho. A palavra a transbordar na memória...
Beijo.

Anete disse...

Bonito poema, Shirley! Profundo, sincero e penetrante!

Uma boa 3ª feira...
Abraço

Jorge disse...

Olá, Shirley!
Num momento ou noutro, ao extirpar e silenciar as nossas emoções dolorosas acabamos por não as sentir e então sentimos a sua falta...
Um abraço,
Jorge

Benno disse...

por vezes, errei, mas acabei acertando
beijando bocas erradas
prova-se do mais doce e do mais amargo
o que é melhor, arriscar-se ou preferir a segurança inútil do estojo?

Tais Luso disse...

"Tenho um bisturi sempre à mão
para extirpar as emoções indesejadas"...

Shirley querida, se todos tivessem esse bisturi o mundo teria outra resposta, nos daria uma aula de como viver bem e feliz. Nossas emoções, mágoas e guardados é que nos tiram do que realmente procuramos: viver mais em paz e sermos mais felizes.

Interessante como cada um interpreta um poema, pega o que lhe parece mais necessário.
Beijos, aplausos!

Rayén disse...

Hermosas letras y blog.
Un abrazo.

Anderson Lopes disse...

Cada vez que venho aqui saio inspirado. Bendita a tua fonte, Shirley!

Lucinalva disse...

Olá Shirley
Lindo poema. Desejo um belo dia. Bjs

Teca M. Jorge disse...

Deixem que falem... eles sempre se enganam... apenas viva!
Beijo.

Inma_Luna disse...

Bellisimo poema. Buen blog.
Un saludo

Tito disse...

Ahhhh,...Shirley.....“suspiro”.!!!!

Li e reli várias vezes, e vi que cada frase de seu poema, com certeza, é uma poesia à parte. Acho até um pouco de desperdício gastar tantas frases lindas em um único espaço, mas sei que sua inspiração é infinita, e sempre vai ter coisas lindas para expor aqui. Muito bonito mesmo.
Abraço grande!

vendedor de ilusão disse...

Poema forte, genial!

Pérola disse...

A humanidade em poesia.

beijo

Cadinho RoCo disse...

Há uma sedução velada em cada palavra dita por seus poemas.
Cadinho RoCo

Emília Pinto disse...

Enganam-se todos aqueles que acham que não somos capzas " de extirpar "as emoções doloridas que nos doiem na alma. Sim, somos! Capazes de seguir em frente é o que temos de ser, amiga, mem que para isso tenhamos de usar um " bisturi" um bom fim de semana, Obrigada pelo belo momento de poesia. Beijinhos
Emilia

Petinha Vilela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Petinha Vilela disse...

Ah! Não fosse esse bisturi...
Um belo poema Shirley, dominando as emoções.
Grande poetisa. Um abraço.

O comentário removido era meu, estava logada no perfil de minha irmã. bjs.

Dorli disse...

Oi Shirley
Adorei o seu carinho
Uma linda noite
Beijos
Lua Singular

Toninho disse...

Um final mágico Shirley.
O belo uso de figuras com muita arte aplicou uma beleza rara no poema.
Amo te ler.

Abraços.
Beijo

EU disse...

Apesar da dormência e do esvaziamento que a ausência provoca, o sujeito poético não quer ficar presa nestes sentires.
Belo!
Bjo, Shirley :)