CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

SINO DO VENTO

Nº DE ACESSOS DESDE 22/11/2010

contador de visitas

NEFERTITI

NEFERTITI

Amigos Caminhantes

POSTAGENS RECENTES

KYPHI PARA ILUMINAR OS SONHOS

KYPHI PARA ILUMINAR OS SONHOS
incenso egípcio

ASFALTO DAS HORAS RECEBEU O SELO DA VEJABLOG - OS MELHORES BLOGS DO BRASIL

ASFALTO DAS HORAS FAZ PARTE DOS MELHORES BLOGS CULTURAIS

http://meublogtemconteudo.blogspot.com/
Obrigada por visitar e comentar as postagens

CADASTRE-SE E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES NO SEU E-MAIL

Seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

14 de fevereiro de 2015

SOCORRO


Não importa
se hoje me demoro
 nas trevas profanas
quero tudo sem sentido
pensamentos recicláveis
metáforas comestíveis
melodias sem compasso...
Pura ilusão
isso não é possível
as sinapses eletromagnéticas
naufragam  nas ondas cerebrais
quando desconsolada e frágil
 percebo o pneu furado
 do carro na garagem...
O que faço?
Ah! Meu querido
se você estivesse aqui agora
o problema seria resolvido
e eu não precisaria escrever
 no espelho do banheiro
 para lembrar amanhã cedo
   de chamar o borracheiro...


Shirley Brunelli Crestana

41 COMENTE AQUI:

✿ chica disse...

Muito linda e um pneu furado pode suscitar muiiiiiiito! bjs, tudo de bom,chica

Ingrid disse...

sempre inspirada querida Shirley...
beijinhos carnavalescos..

Cidália Ferreira disse...

Poema maravilhoso, adorei

Bom sábado, beijo
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Elisabete disse...

Ah a história do carro! Acontece.
Muito bonito.
Bjs

SOL da Esteva disse...

Bem! Com a articulação com o pneu!...
Resultou uma linda Poesia.
Parabéns, Shirley.


Beijo


SOL

José Carlos Sant Anna disse...

O tempo do esperar é o de fazer uma canção, um poema. Um esperar silencioso, uma semente que abre um rastro de luz na metáfora do borracheiro.
Um belo poema, Shirley!
Beijos para o carnaval inteiro (rs)!
P.S.: Em Salvador são sete dias de folia e brincadeira...

Mariangela do Lago Vieira disse...

Lindo poesia, Shirley, parabéns!
Beijos,
Mariangela

Jorge Sader Filho disse...

Sempre faz falta, querida Shirley, sempre faz falta!
Beijo

Laura Santos disse...

Aaah Shirley, o teu belo poema é a prova provada, de que realmente os homens acabam sempre por ter algum tipo de serventia!...;-)
Adorei!
xx

Rita Sperchi disse...

Mesmo com o pneu furado vc continua romântica kkkk ,já pensou acordar e ter que chamar o borracheiro ruim né
mas lendo assim ficou um luxo

Abraços com carinho de bom carnaval !!

└──●► *Rita!!

Ane disse...

Oi Shirley! Eu também não me aventuro a trocar pneu de carro,afe!Isso é coisa pra homem...(risos)
Bjos nas bochechas!

Toninho disse...

O que fazer?
Se esta falta enche tanto quanto o pneu esvazia na hora de sair.
Bela criatividade e figuras Shirley.
Um lindo feriado a voce.
Carinhoso abraço de toda paz.
Beijo

Malu Silva disse...

Como é sempre difícil precisar e alguém tão próximo e não poder contar nem com a presença. Coisas simples do cotidiano que esse alguém poderia nos ajudar a resolver, mas o fato de nunca estar por perto faz com que tenhamos de deixar espalhado bilhetes nos lugares mais inusitados...
Beijinhos, amiga!

Lourdinha Vilela disse...

Que mergulho profundo! Detalhes tão pequenos, cotidianos, transformando a ausência de certo alguém em um belíssimo poema . Show!!!
Adorei. Grande poetisa.

Fábio Murilo disse...

Tudo é encanto no ser querido, pretexto pra tê-lo por perto. Ótimo, bem imaginoso, inteligente, teu poema Shirley.

Guaraciaba Perides disse...

Oi, Shirley...quanto riso, quanta ironia, na ausência do amado... pelo menos seria útil na presença (rs)
nas entrelinhas um pretexto mais profundo de um alegre e triste que se esconde quanto mais se mostra...lindo poema!
Um abraço

Daniel Costa disse...

Shirley, gostei da elegância sentida no poema.
Abraços

Dorli disse...

Oi Shirley
Olha o que fazemos com uma palavra, também o pneu guarda muitas urgias.kkk
Antes eu trocava até o pneu de qualquer carro, agora troco de carro e não de pneu.kkk
Adorei
Beijos
Lua Singular

heretico disse...

convém ter sempre um "borracheiro" suplente à mão - tal e qual o pneu do carro! rss

adorei.

beijo

Edumanes disse...

Socorro, o que foi que aconteceu?
de imediato, vim a correr para aqui
vi um lindo poema que a poetisa escreveu
do princípio até ao fim todinho, o li.

desejo uma boa noite para você amiga,
Shirley Brunelli Crestana, um beijo,
Eduardo.

Maria Rodrigues disse...

A inspiração está sempre presente quando se têm alma de poeta.
LIndo!
beijinhos
Maria

Emília Pinto disse...

As ausências...as partidas temporárias ou definitivas...acabam por deixar um vazio difícil de preencher; com o tempo tudo passa, assim como, com treino, o pneu será facilmente trocado sem precisar de borracheiro.Nunca troquei nenhum e nem me vejo capacitada para o fazer. Há como fazem falta os amores...os queridos, enfim todos os que se foram sem se importarem com o nosso coração. A vida é assim e se não sabemos trocar um pneu, o remédio é aprender. Muito interessante este teu poema. Beijinhos, amiga!
Emília

Lucinha disse...

Shirley,

Eu sempre digo para meus amigos que, homem, de vez em quando, faz falta. Nem que seja pra fazer um conserto. Rs
Lindo poema! Beijos

Graça Pires disse...

Um poema deliciosamente irónico...
Um beijo.

Ricardo- águialivre disse...

Poema escrito de forma brilhante. Adorei ler e reler

Deixo cumprimentos
.............................
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Arione Torres disse...

Oi querida, vim lhe desejar uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

J Araújo disse...

Ah Shirley, achei que você ia lembrar do amado para declarar o seu amor!!

Brincadeira a parte, linda poesia. Da próxima, deixa um recado de amor.

Obrigado pela visita poetisa.

Bj

SOL da Esteva disse...

Não há socorro que valha
Quando tudo corre mal.
Não importa! Tanta tralha
Usada como um dedal,
Empurra e torna "legal".



Beijos



SOL

Nádia Santos disse...

kkkk Demais amiga, adorei! Bjussss

Nilson Barcelli disse...

Um poema divertido, não fora a parte aborrecida de ter de trocar o pneu furado...
Gostei do teu poema, que para além de bem-humorado é magnífico.
Bom resto de semana, querida amiga Shirley.
Beijo.

vendedor de ilusão disse...

Vocês, mulheres, sabem como se aproveitar dos homens... Não é novidade.
Feliz resto de semana, nobre poetisa!

Carla Ceres disse...

Shirley, Shirley, você é demais. :) Adorei. Beijos!

ONG ALERTA disse...

As mulheres são unicas...
Beijo Lisette.

Teresa Almeida disse...

Querida Shirley, diverti-me!
Um poema delicioso e muito bem escrito.
Bem hajas.
Beijinho.

José Carlos Sant Anna disse...

Olá, Shirley,

[...] depois do carnaval...
Como a tarde estava a me olhar preguiçosa, longe de nós, ergui o meu olhar para olhar dentro de vós, para que ouvisses a distância a minha voz... (rs)

Beijos, Shirley!

Vera Lúcia disse...


Olá queridoka,

Viu como procede a minha afirmação de que dou risadas por aqui diante da tela? rsrsrs
Adoro esses seus poemas com traços de humor e ironia.
Pneu furado já não é mais uma dor de cabeça para as mulheres diante da ausência de seus respectivos 'queridos', pois o seguro atende prontamente os nossos pedidos de socorro nesse particular-rsrs.

O poema é fantástico. Adorei!

Beijão, amiga. (Ainda que a passos mais lentos, continuaremos juntas por aqui, se Deus quiser!).

ricardo alves / são paulo,brasil disse...

Ok gostei de seu repentino e irônico bom humor rs...

ReltiH disse...

ME GUSTAN LOS TEXTOS IRÓNICOS.
ABRAZOS

Dênis Girotto de Brito disse...

Muito bom, muito bom! Rsrs
Adorei seu blog e seus textos. Voltarei mais vezes para apreciar mais da sua inspiração. :)

Meus blogs literários:
O Poeta e a Madrugada (Contos e Poesia)
Dark Dreams Project (Contos de suspense e terror)

Abraços!

EU disse...

Das divagações ao concreto...
Sorri com a última parte do poema.
Muito bom, Shirley!
BJO :)

Arnaldo Leles disse...

Melhor ele ir, mas se não aparecer, o seguro faz este tipo de serviço. Humor inteligente me agrada!