CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

SINO DO VENTO

Nº DE ACESSOS DESDE 22/11/2010

contador de visitas

NEFERTITI

NEFERTITI

Amigos Caminhantes

POSTAGENS RECENTES

KYPHI PARA ILUMINAR OS SONHOS

KYPHI PARA ILUMINAR OS SONHOS
incenso egípcio

ASFALTO DAS HORAS RECEBEU O SELO DA VEJABLOG - OS MELHORES BLOGS DO BRASIL

ASFALTO DAS HORAS FAZ PARTE DOS MELHORES BLOGS CULTURAIS

http://meublogtemconteudo.blogspot.com/
Obrigada por visitar e comentar as postagens

CADASTRE-SE E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES NO SEU E-MAIL

Seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

31 de maio de 2014

MIGALHAS


Como fantoche preso aos cordéis do amor
deixo-me sucumbir
 nos braços do silêncio
e não consigo me opor
 à força bruta de tua indiferença.
Raramente
me envias doce mensagem
da cor do sol da manhã
palavras transitórias
que fazem o coração pulsar ao vento.
Iludida e automatizada
 recrio esperanças
no palco onde tantos sentimentos se atritam
e mais uma vez te espero quase num enlevo
sem chão e sem futuro
nas reticências de todo poema que escrevo...


Shirley Brunelli Crestana

46 COMENTE AQUI:

✿ chica disse...

Espera triste, dolorida, expressa em versos lindos! beijos,ótimo fds! chica

Jossara Bes disse...

Oi Shirley,
Belo e triste! A poesia se faz assim, de sentimentos verdadeiros ou fictícios! Sensações que passeiam no viver!
Felicidades para você!

Cidália Ferreira disse...

Como sempre, os poemas com uma pitada de tristeza são porém os mais belos, adorei.

Votos de um excelente fim de semana.

Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Dorli disse...

Oi Shirley,
Como não me retornou, acredito que ajustou bem o blog.
Poesia linda de uma poetisa consagrada que fica até difícil comentar, então, apenas elogio o seu talento poético.
Beijos
Lua Singular

Laura Santos disse...

Lindíssimo, Shirley!
A indiferença mata silenciosamente e aos poucos.
Gostei muito.
xx

Mary disse...

Oi Shirley!

Vim visitar e retribuir sua gentil visita, e...me encantei com tantas poesias lindas!

A poesia que nasce do mais puro e profundo sentimento dos poetas, e quanto tristes mais tem o poder de tocar mais fundo na alma de quem as lê!.

Obrigada pela visita!

Nádia Santos disse...

Parece eu...
Bjus querida, muito lindo

Maria Ferreira N. Vechi disse...

Suas palavras e seus belos poemas.
Beijos,ótimo final de semana.

Jose Esequiel Lopez disse...

Belíssimo, Shirley, belíssimo.

Malu Silva disse...

Pois sim, Amiga, às vezes desejamos algumas palavras de afeto ainda que sejam por pouco tempo... Que dolorido!
Um beijinho!!!

Guaraciaba Perides disse...

Oi, shirley...quando se ama é assim, é verdade, os sinais estão em toda parte...em uma estrela que brilha mais forte, em um sonho profético, num olhar mais profundo, num simples bom dia ou até no silêncio do passado.
Um abraço

Cidinha disse...

Olá, amiga. Uma boa noite! Que posso dizer? Belo! Vc sempre encanta e emociona. Obrigada Shirley! Agradeço o carinho da sua visita. Bjos e feliz domingo!!

Fábio Murilo disse...

Ninguém manda,comanda a emoção. melhor que o tédio de uma relação apática.

Evandro L. Mezadri disse...

Olá Shirley!
Gosto muito de suas poesias, são profundas e nos remetem a uma constante reflexão, pois escreve com a alma. Gosto de seu estilo próprio!
Grande abraço e sucesso!

Samuel Balbinot disse...

Bom dia Shirley.. tua poesia assim como teu comentário e assim como um pensamento que fiz falam deste fantoche.. e são dois né srs
nós somos fantoches para a vida e para a morte, ambas fazem de nós o que bem querem.. bej e até sempre

AC disse...

Shirley,
Se as migalhas fermentarem, do pão nunca se falará da ausência.

Beijo :)

Nilson Barcelli disse...

Com o silêncio da indiferença, pouco mais resta que a esperança.
Belo poema, gostei, como sempre.
Tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo, querida amiga Shirley.

Dorli disse...

Oi Shirley,

Se é difícil viver, vamos então sonhar a felicidade plena
Tá frio aí poetisa?
Aqui está chovendo e frio, já vou correr para a cama e olha que domingo é meu dia de não fazer nada.
Um beijo
LuaSingular

SANTA CRUZ disse...

Shirley: Mais um lindo poema mas sou com um pouco de tristeza. adorei.
Beijos
Santa Cruz

Clau disse...

Oi Shirley :)
Gostei de ler mais um dos teus belos e inspirados poemas.
Acho que a indiferença é pior que o desamor, e é pior do que sentirem ódio por nós.
Bjs!

heretico disse...

poema de um lirismo encantador.

gostei muito

beijo

Eduardo Maria Nunes disse...

Escreveu das migalhas,
com lindos versos um poema
tristezas podem ser as falhas
de quem em silêncio não tenta
com carinho e amor repará-las.

Nas reticências se escreve,
se encontra nas reticências
sintimentalmente, permanece
feliz com as suas proferências.

Obrigado pela carinhosa visita,
desejo-lhe uma muito boa noite,
beijinhos para você amiga SHIRLEY,

Sissym Mascarenhas disse...



Shirley,

Nada de migalhas, somos seres maravilhosos diante de Deus que merecemos o melhor!

Suas palavras traduzem os sentimentos que atormentam muitas pessoas.

Querida, boa semana para voce.

Bjs

Ignacio Santana disse...

Hermosas palabras llenas de nostalgia y sentimiento!!!

Muchas gracias y un gran abrazo, amiga!!! ;)

O tempo das maçãs disse...

Aprendemos também com as experiências ruins, Shirley, portanto, dias melhores virão.

Beijinho.

Carla Ceres disse...

Ai, Shirley, esse poema lembra a história de uma certa rainha Penélope que ficava tricotando reticências enquanto o tal Ulisses pintava o sete pelos mares. :) Beijos!

O Árabe disse...

Mas é assim que somos, Shirley! Muitas vezes, como pássaros, nos alimentamos de migalhas de amor! Belo texto, boa semana.

ValeriaC disse...

Fantástico seu poema, Shirley... e como doí essa espera... como é triste viver por migalhas...
Boa semana, beijos,
Valéria

PAULO TAMBURRO. disse...

SHIRLEY,

vou lhe confidenciar uma coisa: Nunca fui capaz de fazer uma poesia publicável , são muito ruins e nem eu me atreveria.

Então, quando li este seu "Migalhas", fui assaltado por vontade incrível de continuar tentando fazer um poema como este.

Como este? Não , mas prometo a você que o primeiro que eu achar publicável eu lhe mando.

Espero que você tenha tempo suficiente!

Um abração carioca.

silvioafonso disse...

.

Viu porque voltei, amiga?
Agora me responde;
O que pode acontecer se uma
garota educada, de bons modos,
assoprar a brasa que as cinzas
do pecado encobrem na batina?

Só no meu blog você fica
sabendo.


Beijos,

silvioafonso






Arione Torres disse...

Oi querida Shirley, lindo1
Beijos e tenha uma ótima semana, beijos!!

tesco disse...

Sou bruto, que queres?
Mas os brutos também amam.
Minha voz quando te chama
visa incendiar teu bosque
e não atenuar-te a chama.

Meu amor não é jardim,
é agreste como caatinga.
Sou integralmente assim:
Como cacto tenho flores,
mas a maior parte é espinho.

Mas não me deixes sozinho,
necessito tua chuva
para amenizar a seca
do meu solo ressequido
e dar paz ao meu caminho.

Beijos.

Jorge Sader Filho disse...

Seus poemas tem reticências? Eles são como o amor, Shirley.

Beijo.
Jorge

Anderson Lopes disse...

Com migalhas cria-se grandes poemas, Shirley. Como o seu. Um abraço!

Vera Lúcia disse...


Olá querida Shirley,

As emoções decorrentes de um envolvimento de amor costumam ser fortes o suficiente para que uma pessoa a ele sucumba, a ponto de deixar-se sustentar por migalhas.

Nada é mais cruel do que a indiferença que, entretanto, costuma ser aceita enquanto viva a esperança.

Nostálgico e lindo.

Beijão.

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Shirley. Mais um belíssimo poema que tocou o meu coração, como todos os que você escreve.
Por essa razão, seu blog está na lista de espaços que gosto de redescobrir.
Assim, não perco nada do seu trabalho poético maravilhoso, que como sempre digo, em poucas linhas, se expressa muito bem.
Quanto ao poema, sempre é triste quando o nosso coração ama, se ilude e aceita migalhas, é como se o amor que temos por nós fosse tão ínfimo que permitisse tudo isso.
Um dia, sei que a dor passará, a vida sorrirá e um amor em cumplicidade irá florescer!
Parabéns!
Linda semana de paz!
Beijos na alma!

Milton Kennedy disse...

Bom dia Shirley, obrigado por seu carinho lá no blog, apesar de minha ausência da blogsfera.
Grande abraço, saúde e paz interior.

ricardo alves / são paulo,brasil disse...

Linda esta espécie de confissão e reconhecimento! Palavras maduras e de um belo ser humano...
Grande prazer em tê-la como amiga virtual!

GarçaReal disse...


A espera da mensagem de amor que envolva o sentir e mate a saudade,

Lindo...lindo....

Adorei

Bjgrande do Lago

Tais Luso disse...

São as piores dores, profundas e que não cicatrizam. São essas dores da alma. É bonito de se ler; só ler!

beijos.

José Carlos Sant Anna disse...

Ei, Shirley, essa dor é pior que dor de dente, mas não deixe que esse nó estrangule o teu coração. Mas que do ponto de vista da linguagem, o poema é primor, pois é um desabafo poético, "sem reticências".
Abraços,

Leidiana Pereira disse...

Que poema mais triste, me identifiquei com alguns versos, é tão triste quando o cara que você gosta não te corresponde da mesma forma... :(
Beijos minha linda. ♥

Diário da Lady

O Sibarita disse...

Pois é, né Fia? kkkkk As migalhas do amor... aiaiaia! kkkkk

Tá rebocado, piripicado um belo poema sobre as nuanças do amor...

Mas, o amor é isso mais aquilo do sentimento que a outra parte não liga e dá nisso, migalhas, ômodeudocéu! kkkkkkkkkk

Porreta essa menina!

O Sibarita

Maria Emilia Moreira disse...

Eis um poema de amor por um lado e de indiferença por outro! Nada machuca mais o ser humano que se sente ignorado...
Muito bela,como sempre,a sua poesia!
Abraços

Jonatas Rubens Tavares disse...

Em tuas palavras, como se torna belo e vívido esse sofrimento!

Um grande abraço

silvioafonso disse...

.

Shirley, meu anjo. Estou
terminando um livro que
adoraria colocar na
Internet a custo baixo com
o que a minha editora não
concorda. Isso facilitaria
os meus leitores de comprá-
lo. Por isso eu te pergunto,
como eu poderia fazer tal
coisa, sem a presença dela?

Um beijo,

s.34real@bol.com.br

silvioafonso




.