CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

SINO DO VENTO

Nº DE ACESSOS DESDE 22/11/2010

contador de visitas

NEFERTITI

NEFERTITI

Amigos Caminhantes

POSTAGENS RECENTES

KYPHI PARA ILUMINAR OS SONHOS

KYPHI PARA ILUMINAR OS SONHOS
incenso egípcio

ASFALTO DAS HORAS RECEBEU O SELO DA VEJABLOG - OS MELHORES BLOGS DO BRASIL

ASFALTO DAS HORAS FAZ PARTE DOS MELHORES BLOGS CULTURAIS

http://meublogtemconteudo.blogspot.com/
Obrigada por visitar e comentar as postagens

CADASTRE-SE E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES NO SEU E-MAIL

Seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

19 de outubro de 2013

ACABOU


Parece-me ainda ouvir cariciosa melodia
emergindo da fonte dos teus lábios
porém
há entre nós
paredes construídas com a dureza do silêncio.
Não me peças mais desculpas
 me confundes
quedo-me apunhalada
pelo paradoxo lancinante
de inconsequentes promessas.
Mentiras cristalizadas 
vibram em minha alma insana
mas
 essa lírica prisão vai acabar...
Cansada de tuas migalhas
exonero-me do ofício de te perdoar...



Shirley Brunelli Crestana

53 COMENTE AQUI:

✿ chica disse...

Pedidos de perdão da boca pra fora apenas, n~]ao podemos aguentar...LINDO!! beijos,chica

Nilson Barcelli disse...

Às vezes é mesmo preciso acabar.
Mas perdoando sempre...
Magnífico poema, foste brilhante uma vez mais.
Tem um bom fim de semana, querida amiga Shirley.
Beijo.

JAIRCLOPES disse...

Limerique

O que tem começo terá que acabar
Mesmo o amor de inseparável par
Se há culpa de um lado
Do outro talvez pecado
Portanto é tão sublime perdoar.

JAIRCLOPES disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ingrid disse...

O fim sem mágoas seria o ideal para não termos feridas..
Beijos querida e obrigada pelo teu carinho de sempre..

JP disse...

As mentiras não se resolvem com desculpas....

Beijinhos

José Carlos Sant Anna disse...

"Exonero-me do ofício de te perdoar...", a isso se chama demissão voluntária, Shirley.
Será que vale a pena deixar de banhar-se "na fonte dos teus lábios"? Não sei, é bom repensar (rs)! Não esqueça perdão foi feito pra gente pedir (rs)!
Beijo, Shirley!

Ricardo- águialivre disse...

Adorei o poema

O perdoar é um dom de um coração de amor

Deixo abraço
Desejo um bom fim de semana
*****************************
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Severa Cabral(escritora) disse...

BOA TARDE!
HOJE VENHO TRAZENDO UM CONVITE ESPECIAL.
ESTOU NO BLOG DA AMIGA CATIAHO ALCANTARO
http://reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com.br/
COM UMA MATÉRIA MUITO PROPICIA PARA NOSSOS DIAS ATUAIS,UMA ALERTA PARA NOSSA SAÚDE ...SE POSSÍVEL PASSA POR LÁ ,QUE FICO IMENSAMENTE AGRADECIDA .
BEIJOS COM SABOR DE FINAL DE SEMANA!

Diamantina Martins disse...

Olá Shirle!
Por vezes o fim de uma relação é uma libertação.
Adorei o poema
Beijinho

Mar Arável disse...

Belo ciclo de marés

Vera Lúcia disse...


Olá Keridoka,

Intenso e lindamente expressado.
Nenhuma relação sobrevive a mentiras e a promessas que não se cumprem. Desistir às vezes é melhor do que desculpar infinitamente, quando se percebe que não há possibilidade de mudanças. Um fim é sempre triste, mas às vezes a renúncia se impõe para evitar maiores dores.

Ótimo e iluminado final de semana.

Beijo.

Marco Rocca disse...

Belo e com mensagem direta. Aplausos poetisa!

Nádia Santos disse...

Quantas vezes nessa vida dissemos adeus e ainda vamos dizer... Mas faz-se necessário perdoar, ficamos em paz e leves. Adorei! Bjus querida.

Dorli disse...

Boa noite querida
Certa está a sua personagem de exonerar-se de perdoar.
Quem ama não erra.
Obrigada
Lua Singular

lis disse...

Uma realidade que doí, mas necessária
e pedagógica.
Quase sempre perdoar nao educa .
Obrigada da presença
e deixo um abraço

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Um poema de rara beleza.
Perdoar sim. Compreender também.
O pior de tudo é a saturação.
A resposta a um amor total não pode ser nunca de algumas migalhas.

Agradeço a visita

Guaraciaba Perides disse...

Como diz o Eclesiastes há tempo para tudo na vida:"hora de dar abraços e hora de se afastar deles"
toda relação tem que ser sincera e prazeirosa.Concordo plenamente com seus lindos versos.
Um abraço

teca disse...

Despedida sem mágoas seria o melhor para ambos...

Beijos.

Samuel Balbinot disse...

Bom dia Shirley. tua atualização não apareceu ontem.. mas tudo bem cá estou.. o silêncio é bom para quando estamos sós.. ele nos dá direções.. mas num casal ele realmente contrói barreiras intransponíveis..
mas o perdão deve existir.. quem não perdoa se endurece.. e com base em estudos.. termina com cancer.. magoa e falta de perdão.. dão nisso.. beijos e um lindo dia

PAULO TAMBURRO. disse...

OLÁ SHIRLEY,

a exaustão dos perdões fere e constrange as nossas dignidades.

Quando ficamos caminhando em círculos e, sem condições de avançarmos por caminhos mais prazerosos e, existencialmente, confortáveis, um hiato faz-se,um precipício se delineia e ladeira à baixo,tudo se perde.

Então, se não há mais prazer, se o amor está distante,o silencio , a ausência, e novos projetos devem tomar o lugar de ilusões, fantasias,esperanças e objetivos, não alcançados.

Isto é crescer!

Um abração carioca.

Rita disse...

Acho mais fácil pedir perdão do que perdoar, mas quando isso acontece sentimos melhor, mais leve...

Bjusss com carinho

°º✿♫·..Rita!!

Arione Torres disse...

Oi querida,
Não é bom viver guardando mágoas de alguém. Perdoar nos liberta.
Beijos e bom domingo.

C@urosa disse...

Coisas do amor, sempre surpreende. Agradeço sua gentil visita minha cara amiga Shirley.

forte abraço,

c@urosa

Cidinha disse...

Olá, Shirley. Forte e simplesmente lindo. Parabens pelo dia do poeta, querida poetisa!! Adoro ler vc. Bjos e obrigada por partilhar sempre.

Maria Emilia Moreira disse...

Olá Shirley!
Como sempre um poema bem arquitectado, de grande beleza onde se foca o quanto magoa as" mentiras cristalizadas" que fazem erguer "paredes...de silêncio".
Finalmente o cansaço... o já não conseguir acreditar.
Boa semana e um abraço.
M. Emília

Zilani Célia disse...

OI SHIRLEY!
QUANDO O AMOR É CORRESPONDIDO, NÃO HÁ O QUE SER PERDOADO...
LINDO DEMAIS.
ABRÇS
http://perfumeedesejo.blogspot.com.br/

Solange disse...

mas quando a gente ama às vezes volta atrás..

adorei tua visita em meu parole

bjs.Sol


comecei a caminhar contigo..

O Árabe disse...

Doído, Shirley... lindo, porém! Boa semana, amiga; fica bem.

Carla Ceres disse...

É como diria o mais mulherengo dos poetas: "perdão também cansa de perdoar". Beijos, Shirley!

ONG ALERTA disse...

Tudo tem um tempo....
Beijo Lisette.

manuela barroso disse...

Às vezes Shirley, custa tanto dizer "basta". Mas quando surge uma poesia assim, perdoa-se ...
Sempre maravilhosa!
Bji grande

Mirtes Stolze. disse...

Olá querida shirley.
Espero que estejas bem,todo fim é um pouco dolorido,sempre vai um pouco da gente e fica um pouco de quem foi.
Que Deus lhe cubra com todo o seu amor
Beijos.

Claudio Chamun disse...

A arte de perdoar é um dom, mas quando vira rotina é falta de sensatez.
Belo poema.

Bj

Maria Célia disse...

Olá Shirley
Obrigada pela visita e comentário deixado no bloguinho.
Você escreve muito bem, adorei seu poema.
Outra coisa, você é muito bonita e elegante.
Beijo

LUZ disse...

Olá, Shirley, querida!

Não estava esquecendo você, coisa nenhuma, só que minha vida profissional "atrapalha" e de que maneira!

Não estou comentando nenhum blogue, por uma questão de igualdade de critérios, mas leio sempre os posts, e claro o seu eu não poderia deixar de o fazer.

VOCÊ É A SENHORA DA POESIA E SABE O QUE ESCREVE. É RAFFINÉE.

Beijos carinhosos da Luz.

Maria Alice Cerqueira disse...

Shirley, muito bom dia!
Lindo seu poema!
Um lindo dia para você, coberto de muita paz e amor!
abraço amigo
Maria Alice

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes acabar é necessário, mas perdoar apazigua e a dor fica menor.

um beijo

:)

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Impressivo!
A dor torna-se bela nas palavras...

Um beijinho amigo

Dorli disse...

Oi Shirley
Passando para agradecer o comentário e dizer que vou posta segunda e quinta- feira.
Vou colocar aviso no blog
Beijos
Lua Singular

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Contundente y Rotunda. LLena de Melancolía y Firmeza.
Paredes construidas con la dureza del Silencio y esas mentiras cristizadas que rompen en añicos...Preciosa.
¡¡¡Hola Shirley!
Estou aqui novamente.
Eu fiz os testes necessários e os resultados confirmaram a previsão de que mais ou menos sabia.
Eu tenho alguns meses difíceis para combater esta doença, mas a coisa boa é que é localizada e não generalizada.
A vida continua e você tem que fazê-lo ir, por isso vou começar esta semana e vai publicar poesiayvivencias desde que me permita minha nova vida, para ver o seu lindo blog e comentar sobre seus grandes pensamentos.
Obrigado por sempre estar lá! Eu senti suas orações, sua energia, suas expectativas ... Seu amor.
Você é uma mulher maravilhosa, cheia de ternura e cumplicidade.
Abraços e beijos.

Ateliê Tribo de Judá disse...

Belissimamente poesia,delicada e nos faz refletir.
beijos
Joelma

heretico disse...

atrevo-me a afirmar que é uma excelente decisão - "exonerar" do fardo de perdoar...

nunca compreendi a ideia de dar a outra face...

belo, gostei do poema.

beijo

Evanir disse...

Depois de um longo período de afastamento
retorno devagar e com o coração ceio de saudades.
Quando deparamos com problemas inadiáveis nos
sentimos um pouco frágil somente pela fé
muitas vezes continuamos prosseguindo .
Aos poucos se Deus quiser
e com certeza ele vai querer
tudo se resolve e assim poderei
continuar minhas visitas com menos espaço de tempo.
Obrigada pela sua amizade que só me faz fortalecer
em minha caminhada.
Um abraço carinhoso beijos , Evanir.

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Shirley. Excelente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Um dos seus poemas melhores que eu já li!
Você escreveu divinamente sobre o cansar-se de perdoar palavras, que são recorrentes, pois na realidade não houve mudança, tampouco arrependimento.
Eu me identifiquei DEMAIS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Amei o final!
Parabéns, me arrepiou!
Beijos na alma e lindo dia!

Pérola disse...

Por vezes temos de terminar mesmo.

Beijos

Roni Almeida disse...

Desculpe a demora, mas só consegui acessar o blog agora. Achei simplesmente fabuloso. Vou reservar um tempo para ler tudo. Perdão, não só ler. Refletir. Fiquei impressionado. Parabéns!

silvioafonso disse...

.


Tava mortão de saudades
desse lugar.

Beijos,

silvioafonso





.

AC disse...

Um ponto de viragem pressupõe determinação, e sem ela não há libertação.
O que escreveu faz todo o sentido, Shirley.

Beijo :)

O tempo das maçãs disse...

Uma boa decisão, Shirley.E um belo poema.


Beijo.

Clara Lúcia disse...

Que lindo, Shirley!
É bem assim mesmo. Acabou acabou!
Beijos

tesco disse...

Lendo coisas assim é que me ponho, mentalmente, a contestar Fernando Pessoa: Poeta fingidor?
Como? Quando é que a Shirley está fingindo? Quando alegre, com a presença do amado, ou quando triste, quando o amado partiu?
Parece que me diz o Pessoa:
- Não, tesco, tu não estás a entender, são variações das tonalidades do sentimento. Quando a Shirley nos parece triste, está a fingir que parece triste porque está triste. E quando nos parece alegre, se dá o contrário. Entendeste?
Ih, meu poeta, estas nuances me confundem. Deixe-me sem entender.
Irei apenas apreciar a beleza da Shirley. Digo, dos versos da Shirley.
Beijos.

may lu disse...

Lindo! Há-nos tanto para compartilhar. É assim que deve ser o amor... Temos de ter um coração florido para exalarmos aromas. E coração só floresce com sentimentos bons. Não acredito em amor de migalhas, ele não nos acrescenta...
beijos